Desenvolvedor JavaScript — do Brasil à Europa

O que você quer ser quando crescer? Colegial

O que você quer ser quando crescer?

Hoje, já adulto e consciente das coisas, eu consigo ver quão "inocente", mas quão desonesta é essa pergunta.

Inocente porque toda criança tem contato com profissões, seja em filmes, livros, inspiração dos pais ou quem sabe em feiras de profissões nas escola.

Entretanto, desonesta porque começa a remeter um comportamento comum na nossa sociedade, onde, precisamos definir o que a gente vai ser PRO RESTO DA VIDA, o mais rápido possível.

E o reflexo disso vem no colegial, onde não somos mais crianças, estamos prestes a nos tornar adultos e novamente essa pergunta vem a tona:

Já decidiu o que você quer ser? Vestibular está logo ai!

No terceiro colegial precisamos definir o que faremos, com o que trabalharemos, mas caramba, isso parece um pulo de 8 para 80 em poucos anos. Até esses dias você estava brincando na rua e agora precisa decidir seu futuro.

Óbvio, há quem já saiba desde pequeno o que quer ser, mas me sinto confortável pra dizer que de longe é a maioria das pessoas, afinal, é muito fácil encontrar noticias como, "Fulano abandonou a carreira de advogado pra seguir seu sonho e abrir um restaurante." ou até mesmo conhecer o tipo de pessoa que toma essa iniciativa.

Mas, por que?

Talvez porque a pessoa "teve" que escolher o que queria ser o mais rápido possível por pressão dos pais. Ou então porque acreditava que gostava de algo, mas alguns anos depois descobriu que era apaixonado por outra coisa. Ou então porque entrou na faculdade da profissão X para agradar os pais.

Cada pessoa terá seu motivo, mas o fato é claro: Decidir o que você vai ser profissionalmente sem maturidade é quase um tiro no pé. Lembrando que maturidade nem sempre está diretamente relacionada com a idade, mas podemos dizer que muitas das vezes com a idade tende a vir maturidade (de novo, nem sempre).

Enfim, eu fazia parte da galera que não sabia o que queria ser. Sempre desconfiei, mas nunca tive certeza. Talvez a noção de tempo de um adolescente é diferente, ou então porque eu não conseguia enxergar trabalho da mesma forma com que um adulto, ou então porque eu simplesmente não sabia mesmo.

Eu pensava:

“Existem centenas de coisas legais para se trabalhar, porque diabos eu tenho que escolher apenas UMA pro resto da minha vida?"

Tanto essa afirmação era verdade em minha cabeça que isso refletia até mesmo o meu comportamento nos jogos. Sim, em jogos!

Todo jogo que eu tinha que escolher entre classes/vocações, me gerava uma ansiedade. Depois de analisar cada uma, eu tentava começar com algum que parecia interessante, mas depois criava um novo personagem pra testar outra classe, e depois outro, até acabar as possibilidades e eu decidir com qual vocação eu jogaria de fato.

Mas a vida não é longa e muito menos um jogo de RPG. Eu tinha a sensação de que essa pressão vinha de todos os lados possíveis e a única coisa que eu conseguia pensar era:

"Meus amigos já sabem o que querem fazer… porque diabos eu não consigo me decidir?"
😢
😢

Colegial

Saindo da oitava série, minha mãe me fez essa mesma pergunta:

E aí Raul, e agora? O que você vai querer fazer da vida?

Na minha cabeça tudo era muito confuso, mas todo mundo falava que a gente tinha que fazer faculdade, então eu também queria. E não só uma faculdade qualquer, uma faculdade pública.

Só que, todos sabemos que a educação pública no nosso país (exceto universidade) é uma coisa lastimável. Sabemos também apesar de ter a porcentagem de alunos de escolas públicas que entram em faculdades publicas, esse número é BEM pequeno e que se você quiser passar no tão temido vestibular, você precisa de uma boa educação.

Foi então que eu propus:

Beleza mãe. Eu quero fazer uma faculdade publica. Então, paga uma escola particular pra mim e a faculdade vai ser de graça!

CONFIAA!
CONFIAA!

E assim foi feito. No meu primeiro colegial fui estudar em uma escola particular, o Anglo.


Escola particular é boa mesmo?

Crítica

Não sei se você se lembra das aulas de histórias, mas quando começaram as grandes revoluções industriais, a noção de trabalho foi completamente alterada, afinal, para as grandes indústrias funcionarem, era preciso cada vez mais de mão de obra qualificada, então, caso você quisesse ter um salário maior e ser menos explorado, era preciso se qualificar.

Quase 100 anos depois, essa concepção de mão de obra qualificada, de formar operários ao invés de cidadãos ainda é bem presente em toda sociedade.

Duvida? Então tenta lembrar das suas aulas de física, química, biologia das plantas e pensa qual foi a real aplicabilidade na sua vida hoje desses temas.

Pois é… como já diria a Juzão:

E não que eu discorde que coisas básicas de física por exemplo devem ser ensinadas. Mas acredito que o foco deveria ser diferente. Um exemplo claro de ensinamentos úteis envolvendo física é uma coisa que a gente tem em quase todas as casas, micro-ondas.

Na minha concepção, física útil pra um cidadão é saber o que são as micro-ondas e como elas reagem com os materiais. Qual o efeito possível se eu colocar um papel alumínio ou um ser vivo (pensando na notícia da menina que colocou o hamster dentro de um). Matemática a gente pode cair em questões de finanças pessoais. Química sobre produtos que a gente usa no dia a dia.

A propósito, acredito que muitos canais no Youtube tentam fazer isso e atingem esse objetivo de forma esplêndida, como é o caso do manual do mundo por exemplo

Ou até mesmo o Nerdologia, que apesar de ter um foco em explicar coisas do mundo Nerd, muitas vezes respondem dúvidas que temos sobre coisas do cotidiano usando conceitos da psicologia, física, química, biologia, etc.

Enfim, não sou pedagogo, muito menos especialista em educação. Essa é só minha opinião (que não vale mais que a sua) sobre essa realidade, baseado nas coisas que a gente tem que aprender depois de adulto na ESCOLA DA VIDA!


Objetivo

Mas, se o assunto é preparar você pra passar no vestibular, sim, escola particular é muito bom.

E ela PRECISA ser boa, afinal, como ela vai conseguir aumentar seu lucro? Tendo mais alunos. Como conseguir mais alunos? Sendo reconhecida. Como ser mais reconhecida? Tendo alunos que passaram no vestibular. Como ter alunos passando no vestibular? Fornecendo algo 100% focado pra isso e bem rígido.

Então basicamente eles fazem de TUDO pra você sentir necessidade de entrar nesse jogo e conseguir "vencer na vida" (muitas aspas aqui), desde palestras motivacionais com ex alunos já formados em renomadas universidades, até piadinhas frequentes com pessoas que fazem faculdade particular.

Pelo simples fato de adolescente (as vezes nem adultos) na maior parte das vezes não ter maturidade e discernimento sobre os ideais e princípios que estão sendo aplicados, eles acabam comprando essas ideias e tomando como verdade absoluta.

Apesar de tudo isso, estudar lá foi uma oportunidade de ouro. Foi lá que o que meu interesse por estudos começou, que eu aprendi a fazer boas redações, que eu aprendi bastante sobre biologia e entre outras coisas. Mas principalmente, foi lá eu percebi que talvez eu não fosse a derrota que sempre pensei ser!

Uma pena que tudo isso aconteceu quando eu já estava quase no fim do terceiro colegial! hahaha


Reta final

Se você leu o Ato 2, você viu que eu era uma criança totalmente viciada em jogos, e como sabemos, esses vícios não acabam enquanto você não tem uma motivação maior.

Infelizmente, jogar era muito mais divertido que aprender sobre a composição de cloretos, ou sobre qual era a densidade demográfica do Brasil.

Além do mais, nunca senti prazer em ler ou estudar, e claro, isso não ia mudar de uma hora pra outra só porque eu entrei em uma escola particular e era obrigado a faze-lo.

Então, continuei jogando durante muitas horas do meu dia e tentando estudar o mínimo possível, apenas pra tirar notas suficientes e passar de ano.

Chegado o terceiro colegial, momento de escolher a minha profissão.

Mortal Kombat 1... sdds
Mortal Kombat 1... sdds

Eu precisava fazer a matricula do vestibular e consequentemente, dizer o curso para qual iria prestar. Mas, como faze-lo se em mim reinava apenas dúvidas e incertezas? Eu ainda não sabia o que eu queria.

Foi então que o desespero começou a bater e eu comecei a pensar nisso com bastante frequência (mais do que eu gostaria), mas pera…

Quais são minhas opções? #ajudaLuciano

Opções

Nutrição

Nutricionista

"Eu já leio bastante coisa de nutrição, não parece que é tão complicado assim… Mas se bem que eu nem sei o que um nutricionista faz. Não quero cuidar de pessoas obesas. Será que ganha dinheiro? Talvez eu nem goste tanto assim… não pra trabalhar…"

Educação física

Personal Trainer

Bom, tem educação física… eu gosto bastante de estudar sobre, ajudar as pessoas na academia, disseminar meu conhecimento. Será que personal trainer ganha bem? Salário de um professor de academia é de 2 mil reais.. me parece pouco… não sei… talvez não seja um futuro promissor."

Computação

Manutenção de PC

"Eu gosto de mexer em computador, mas será que isso tem futuro? Será que eu gosto de me divertir mas pra trabalhar não? Acho que não é uma boa ideia…"

Design

Designer

"Sempre gostei de desenhar. Design parece um curso interessante… olha essa revista de projetos de design, é muito legal. Talvez essa seja uma boa ideia, mas como será que funciona? Não sei se sou tão criativo assim… Talvez… Talvez…"


Tic Tac.. Tic Tac… o tempo não para de correr.

Era o ultimo dia de fazer matricula no vestibular, mas qual curso? qual? alguém me dê uma luz.

Decidi que ia tentar Design! Sempre gostei de coisas visuais e criação, achei que fosse uma boa dentre as opções.

Nota de corte 48, parece fácil, pensei. Mas não. Não estava preparado.

Eu não quis me preparar. 3 anos perdidos eu pensava, mas não era hora de lamentação.

Resultado

Como você já deve ter deduzido, não passei no vestibular! E nesse momento eu levei um ultimato da senhora que me sustentava e que me criou desde que nasci, vulgo minha Mãe:

Filho, te poupei de trabalhar durante esses 3 anos da sua vida pra você estudar. Você não passou e agora se quiser fazer faculdade, vai ter que trabalhar pra pagar. Comece a procurar trabalho!

#chateado
#chateado

É… 18 anos, não tinha entrado em nenhuma faculdade. Não sabia o que queria fazer. Meus amigos tinham passado no vestibular. E agora?