CSS Básico: Position Absolute e Relative

Entendendo como usar position absolute e relative no CSS

Fala galera, tudo certo? Hoje vim dividir com vocês um problema que eu estava tendo e acredito ser muito comum, principalmente com iniciantes sobre posicionamento de elementos e estilização.

Percebi que apesar de já ter usado n vezes, eu não entendia afundo as regras dessa regra e tive grandes problemas por não saber, ao tentar criar um component React que seria um input com ícone.

Mas calma, se você é iniciante e não sabe o que é React, nem esquente a cabeça. Neste artigo, e mostrarei o funcionamento do mesmo usando HTML e CSS puros.


O problema

Como já mencionei acima, o problema que eu tive era de criar um componente de input que contivesse um ícone no canto. E já adiantando, eu percebi que há várias estratégias para implementa-lo, inclusive, utilizando pseudo elementos e etc.

Porém, por motivos de aplicabilidade no projeto atual e levando em consideração as futuras possibilidades que eu terei que cobrir, eu optei pela seguinte estratégia:

<div class="input-icon">
  <input type="text" class="input" />
  <span class="icon"></span>
</div>

Mas, em ~React~ way.

O resultado teria que ser algo do tipo:

O que queremos

Mas, dado a estrutura e estilos dos elementos já de cada componente, meu resultado foi esse:

O resultado... ;/

Para ilustrar melhor, vou simular o ambiente de forma bem simples e usar exemplos direto com Codepen:


Position: Relative

Bom, assim como vários outros temas, eu tinha um conhecimento superficial de como era o funcionamento dessa propriedade.

Então arrisquei um um relative, afinal sabia que, após definido as coordenadas (top, bottom, left, right), ele se alinharia relativamente à sua posição:

Tinha dado certo parcialmente, era só fazer uns ajustes no width, mas… parecia meio estranho. Era como se o elemento estivesse ali, na mesma posição anterior, mas sua exibição fosse descolada.

Bom, é exatamente isso.

Fui correndo para o a documentação da propriedade position no MDN Web Docs e me deparei com esta imagem:

Position relative

Minha suspeita estava certa, relative não me serviria.


Position: Absolute

Bom, o fixed eu já sabia que não era, me sobrava o absolute. Tinha que ser ele. Corri no código e fiz a alteração:

Que? Meu ícone foi parar lá na pqp… O que diabos estou fazendo de errado?

De volta a mesa das pesquisas, voltei no site da MDN e fui ler pra ver se entendia o comportamento do absolute:

The element is removed from the normal document flow; no space is created for the element in the page layout. Instead, it is positioned relative to its closest positioned ancestor if any; otherwise, it is placed relative to the initial containing block.[...]

Na tradução livre…

O elemento é removido da direção normal do documento. Nenhum espaço é criado para esse elemento no layout da página. Ao invés disso, o mesmo é posicionado relativo ao seu ancestral posicionado mais próximo, se houver. Caso contrário, será relativo ao bloco inicial.

E aí eu fiquei tipo:

whaaat
whaaat

Mas que merda é um elemento ancestral e pior, o que é um elemento ancestral posicionado?

Ainda na documentação, percebi que havia uma descrição sobre o que era um elemento posicionado:

A positioned element is an element whose computed position value is either relative, absolute, fixed, or sticky. (In other words, it's anything except static.)

Na tradução livre…[2]:

Um elemento posicionado é um elemento que possui um position definido por relative, absolute, fixed ou sticky. (Em outras palavras, qualquer posicionamento, exceto estático.

Ahhh… agora fazia mais sentido.

Elemento ancestral eu poderia deduzir que seria o pai, avô, bisavô, ou seja, elementos acima dele.

Juntando as informações e colocando em outras palavras:

O elemento com position: absolute vai ser relativo ao elemento ancestral (qualquer um acima dele hierarquicamente) que tiver definido um position, exceto para valor static. Caso não haja, ele será relativo no ao bloco inicial do documento (html).

wooooaaahhh
wooooaaahhh

A Técnica

Ainda lendo sobre o assunto, descobri no site do nosso mestre Yoda do CSS (maujor), que existe uma técnica usada desde sempre para resolver o problema que eu estava tendo.

Essa técnica nada mais faz, do que respeita as regras que vimos no bloco anterior: Define um posicionamento para um elemento logo acima do que queremos.

Como já vimos na sessão do relative, ao definirmos tal posicionamento, nada acontecerá, e seja definido os valores das posições, o mesmo continuará ocupando o seu lugar no layout, apenas sendo exibido em outro lugar.

Assim, podemos aproveitar esse comportamento e definir para a nossa div .input-icon, um position: fixed, sem passar nenhuma posição.

Ao fazer isso, o ~elemento ancestral posicionado~ mais próximo do nosso .icon será o .input-icon, consequentemente, o ponto que será usado para posicionar relativamente o ícone:


Ajustes finais

Agora, só resta alinhar o posicionamento do .icon para encaixar dentro do nosso input e definir um padding-right maior no input, para que o texto respeite o espaço do ícone:


Update

Quando postei esse artigo no grupo FrontEnd Brasil no facebook, um rapaz chamado João Gabriel Hümmel fez o seguinte comentário:

"Um detalhe interessantes é que vc alinhou as coisas básicamente no olho, existe a possibilidade de utilizar no icone, as propriedades top com 50% e transform com translateY(-50%). e ele sempre vai alinhar adequadamente no meio."

E foi interessante porque eu já tinha usado o translate algumas vezes, mas nem tinha me atentado que ele serviria muito bem para esse caso.

Fazendo uma leve alteração no código, temos o mesmo resultado, mas agora, independente do tamanho, ele sempre será alinhado no meio:

Achei deverás interessante e importante, muito obrigado pela colaboração! =D


Conclusão

Quando estamos estudando algo, as vezes passamos batido por detalhes que podem fazer toda diferença sobre o entendimento e uso da ferramenta, linguagem, ou qualquer que seja a coisa que está aprendendo.

Após aplicar regra dos 80/20, onde 20% do conteúdo traz 80% de resultados, em outras palavras, aprender o funcionamento básico de algo para entender na visão geral como aquilo funciona, é válido as vezes parar para entender os outros 80%, ou seja, os detalhes mais profundos que causam apenas 20% dos resultados.

Espero que tenha ajudado você, que, assim como eu, já passou por vários problemas como esse!

Um abraço!